quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Setores bancário e de telecomunicação foram os que mais geraram demandas no Procon-SP em 2012. O órgão solucionou 85% dos casos no primeiro atendimento.


Ranking 2012

16 de JANEIRO de 2013

 Setores bancário e de telecomunicação foram os que mais geraram demandas no Procon-SP em 2012.
O órgão solucionou 85% dos casos no primeiro atendimento.

O setor bancário, com 35.012 atendimentos, ficou em primeiro lugar seguido do de telefonia móvel,com 28.332. Entre as empresas, o grupo Itaú Unibanco foi o primeiro com 10.306 e em segundo ficou grupo Vivo Telefônica, com 9.683. Os maiores problemas enfrentados pelo consumidor, no caso do setor bancário, foram a cobrança de valores não reconhecidos em faturas de cartões de crédito e conta corrente e a cobrança de tarifas, especialmente as relacionadas a financiamento de veículos.  em telecomunicações os principais problemas estão relacionados ao não cumprimento dos pacotes ofertados, à inoperância do serviço e, especialmente, à dificuldade de cancelamento do serviço. Veja aqui o ranking das empresas e aqui o ranking dos setores.

O Varejo, tanto online quanto o convencional, concentrou muitos problemas com a entrega dos produtos ofertados. O comércio eletrônico, que desde 2011 vem ganhando expressividade, em 2012 apresentou um crescimento acentuado de queixas relacionadas à oferta de produtos e serviços pelos sites de compras coletivas. O setor de telecomunicações (telefonia fixa e móvel, acesso à internet e TV por assinatura) também teve um considerável aumento. Em compensação, os fabricantes de produtos eletroeletrônicos, apesar de permanecerem entre as empresas mais demandadas, apresentam números bem inferiores aos registrados em anos anteriores.

Índice de solução

O Procon-SP no ano passado solucionou 85% dos casos no  atendimento, quando envia carta ao fornecedor solicitando resolução do problema. Entre as empresas que menos solucionaram as demandas do consumidor estão BV Financeira e Motorola, com 56,44% e 47,46% de casos não solucionados, respectivamente. Veja aqui os índices de solução. Para o diretor executivo em exercício do Procon-SP, Carlos Coscarelli, o grande problema das empresas listadas no ranking é a ineficiência do pós-venda. “As empresas precisam investir mais nestes serviços, buscando soluções aos problemas deforma fácil e rápida.

Ranking online

O ranking, que foi lançado pela Fundação de forma inédita em março de 2012 e apresenta os dados de atendimentos acumulados do ano corrente atualizados diariamente (veja aqui o de 2013), é uma ferramenta importante que o consumidor tem para ter acesso às empresas que mais geram demandas no Procon-SP e também àquelas que menos resolvem estes problemas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário